* CONSTRUÇÃO E REFORMA DA CATEDRAL

Forma Arquitetônica da Catedral e sua Simbologia

A tarefa de dar corpo às idéias que o Cardeal Câmara tinha concebido e discutido com o seu secretário particular e futuro executor das obras, Monsenhor Ivo Antonio Calliari, sobre a Catedral, foi confiada ao arquiteto Edgar Fonceca (s.i.c.), professor da PUC do Rio. O engenheiro foi Newton Sotto Maior e o mestre de obras Joaquim Corrêa.

A Catedral tem as seguintes medidas: 75 metros de altura externa e 64 metros de altura interna, 106 metros de diâmetro externo e 96 de diâmetro interno, cada vitral: 64,50 x 17,80 x 9,60 metros; área de 8.000 m2, com capacidade para abrigar 20.000 pessoas em pé ou 5.000 sentadas.

A exemplo de todas as igrejas católicas, também a Catedral do Rio de Janeiro tem como símbolo máximo a cruz. Não é apenas a cruz que paira alguns metros acima do altar-mor, sustentada do teto por seis cabos de aço. A cruz que se impõe é aquela que está na origem do projeto: uma cruz grega, de vastas proporções e feita de material transparente, seria o centro e recheio de um círculo imenso, com trinta metros de diâmetro, símbolo expressivo da presença de Cristo entre os homens.

De que maneira conjugar o círculo e a cruz foi o desafio enfrentado até delinear a Catedral que aí está, de estilo tão diferente de todas as igrejas construídas conforme os padrões convencionais. E esse desafio encontrou resposta e inspiração na pirâmide que os Maias construíram na Península de Yucatan, no México. Na base, a pirâmide é quadrada e larga, mas se estreita a medida em que sobe, até tomar, no topo, a forma de um platô.

Diferentemente das pirâmides dos Maias, ela tem forma circular e cônica para significar a eqüidistância e proximidade das pessoas em relação a Deus, lembrando um pouco também a mitra usada pelos bispos nas cerimônias mais solenes; Deus, - como que "desce" das alturas para vir ao encontro do homem - é simbolizado pela luz que se esparrama dos quatro braços da cruz, à qual domina grande parte do teto e tem o seu prolongamento nos quatro vitrais que se ligam aos pórticos. Aqui, os fiéis são como que acolhidos pelo Cristo que foi enviado pelo Pai, morreu e ressuscitou para a nossa salvação, instituiu a Igreja e enviou sobre ela o Espírito Santo.

Os quatro vitrais, que nos dão impressão de estarem abraçados por fios de betão, são também uma afirmação da fé que está na origem e na finalidade maior da Catedral e estão posicionados conforme os pontos cardeais. Eles simbolizam as quatro notas características da Igreja: Una, Santa, Católica e Apostólica.

Una: Somos o Rebanho do Senhor, nosso único Pastor, cuja Palavra é referencial de vida. A característica da Igreja - Una - está representada pelo Bom Pastor que figura no vitral verde, também à frente de quem entra pelo pórtico principal. Foi Jesus Cristo quem disse: "Importa que haja um só rebanho e um só pastor". Neste vitral são vistos outros símbolos que conduzem à idéia de unidade da fé: a Bíblia, a Mitra dos bispos, a Tiara do Papa e o Cálice da Salvação com a Hóstia Consagrada (direção sul).

Santa: A Igreja é Santa porque o Senhor Jesus Cristo, o Santo dos santos a instituiu, mas também é pecadora porque nós, seus membros, somos imperfeitos. O vitral que representa a característica da Igreja - Santa - está à direita de quem entra na Catedral e inclui São José e Nossa Senhora entre outros santos. A cor que predomina é a vermelha, a mesma que simboliza os dons do Espírito Santo, a terceira pessoa da Santíssima Trindade (direção oeste).

Católica: Todas as pessoas (quatro raças), indistintamente, são chamadas a serem membros da Igreja de Cristo. A terceira característica da Igreja - Católica - está estampada no vitral acima do pórtico da entrada principal, com predomínio da cor azul. A catolicidade da Igreja, isto é, sua universalidade, está expressa nas diversas raças (branca, vermelha, negra e amarela) que o vitral apresenta na parte inferior. Mais acima, estão os símbolos dos quatro evangelistas ( o leão, São Marcos; o touro, São Lucas; o jovem, São Mateus e a águia, São João ) e o globo terrestre encimado com a cruz (direção norte).

Apostólica: Instituída por Cristo, a Igreja honra São Pedro como primeiro Papa, cujos sucessores ocupam sua cátedra em Roma como vigários de Cristo na terra, tendo os Bispos como colaboradores diretos, pois são sucessores dos demais Apóstolos e devem pastorear o rebanho a eles confiado em comunhão com o sucessor de Pedro. O vitral que representa a quarta característica da Igreja - Apostólica - encontra-se à esquerda de quem entra na Catedral. Sobre tons de fundo amarelo aparece São Pedro, com as chaves; mais abaixo, dois personagens simbolizando os sucessores de Pedro (papa) e dos demais apóstolos (bispo); mais acima podem ser vistos os instrumentos da paixão de Cristo, sobretudo a cruz em que Ele morreu e da qual pende o lençol no qual foi envolto o seu corpo. O lençol está em forma de M para lembrar a especial participação de Maria, mãe de Jesus, no mistério da Redenção operada por seu filho (direção leste).